Ter um site exige atenção a detalhes tanto externos quanto internos. É justamente por isso que temos a nossa disposição diversas ferramentas de Web Analytics para compreender os dados gerados pelo tráfego como número de visitantes, visitantes únicos, tempo de permanência e taxa de rejeição.

Este último é o que mais assusta os proprietários, já que o termo “rejeição” remete diretamente a algo ruim. Por isso, neste post falaremos exclusivamente da taxa de rejeição, mostrando o que significa, quais parâmetros usar, causas e como reduzi-la.

Assim, você terá mais condições de melhorar o seu ranqueamento nos mecanismos de busca, aumentar o tráfego do seu site e a taxa de conversão, principalmente se ele se tratar de um e-commerce.

Algumas das estratégias mais utilizadas são as práticas para otimização de SEO do site, incluindo o aumento da criação de Landing Pages. Afinal, de acordo com a pesquisa realizada em 2013 pelo HubSpot, empresas que possuem 40 ou mais Landing Pages conquistam 12 vezes mais leads que as demais.

O que é Bounce Rate ou Taxa de Rejeição?

Primeiramente, é preciso entender o tráfego do seu site. Quando o usuário o acessa, seja através dos mecanismos de busca, redes sociais, links externos ou diretamente pela URL, ele tem duas opções: visitar outras páginas ou sair do site.

A primeira, eleva o tempo de permanência dele no site e as chances de conversão, pois este comportamento indica que ele está interessado em seu conteúdo. Já a segunda, mostra que ele não encontrou o que procurava e rejeitou o seu site.

Desta forma, a Taxa de Rejeição serve para mensurar o número de pessoas que rejeitaram o seu site, através de um valor percentual. Trata-se de uma métrica que precisa ser fortemente analisada e se o seu valor for alto, indica que há algo errado em seu site.

Qual a taxa de rejeição aceitável?

Para considerar uma taxa de rejeição ou não é preciso avaliar fatores, como mercado de atuação, sazonalidade, objetivo do negócio ou do site, etc.

Por exemplo, se você possui um blog, provavelmente sua taxa de rejeição será maior que a de alguém que possui um e-commerce.

Isso porque, no caso do blog é natural que a pessoa leia somente um conteúdo de uma página e saia do site, enquanto no e-commerce, o usuário precisa navegar para concluir uma conversão.

Confira alguns parâmetros para taxa de rejeição, levantados pela QuickSprout:

  • Sites de conteúdo: 40 a 60%
  • Landing pages: 70 a 90%
  • Portais: 10 a 30%
  • Venda de serviços: 30 a 50%
  • Sites de serviços: 10 a 30%
  • Varejo: 20 a 40%
  • Blogs: 70 a 98%

Como reduzir a taxa de rejeição?

De acordo com o empreendedor e especialista em Marketing Digital, Neil Patel, existem algumas medidas simples e comprovadas que melhoram a experiencia do usuário e, consequentemente, diminuem a taxa de rejeição.

Confira abaixo 9 dicas que lhe mostrarão como diminuir o seu Bounce Rate:

1 – Melhore a legibilidade e escaneabilidade do conteúdo

O conteúdo do seu site precisa ser de fácil leitura para que o usuário absorva rapidamente as informações contidas.

Por isso, ao escrever um texto divida-o em subtítulos e tópicos com  pequenos trechos para leitura, isso melhora a escaneabilidade. Além disso, utilizar fontes leves e finas, exibidas em um fundo que contraste bem as cores, aprimoram a experiência do usuário. 

2 – Livre-se dos popups 

Além de serem bastante invasivos, os popups comprometem a navegabilidade do seu site. Eles também não geram muita conversão, já que a aceitação dos usuários é bem baixa. Em 2013, uma pesquisa relatou que 70% dos usuários consideravam os popups desinteressantes, o que comprova que não gera resultado algum. 

Para melhorar a conversão, realize outras estratégias como envio de e-mails marketing, banners na rede de display, redes sociais, etc. 

3 – Invista em um Call to Action atrativo

Complementando o tópico anterior, as chances de conversão de seu site aumentam muito mais com uma chamada para ação (Call To Action - CTA) bem elaborada. Ela precisa ser visível e localizada estrategicamente para aumentar as chances de cliques. 

O principal objetivo, nesse caso, é despertar a curiosidade no usuário para ver o que tem do outro lado da tela. Além disso, chamadas criativas e provocativas despertam ainda mais o interesse. 

4 – Configure links externos para abrirem em outra janela

Como você pode perceber, a melhor forma de diminuir a taxa de rejeição é melhorando a experiência do usuário. Assim, configurar para que os links externos abram em outra página aprimoram essa experiência, pois ele não precisa sair de vez de seu site e também não ficará frustrado por perder um conteúdo que estava lendo. 

Lembrando que, os links externos extremamente importantes para a estratégia de SEO, já que elevam o nível de autoridade do conteúdo. 

5 – Mantenha o blog atualizado e conteúdos certos

E por falar em conteúdo, se o seu site tiver um blog é essencial manter uma frequência de postagem (de preferência semanal ou diária) e com um material constantemente atualizado e com informações relevantes. 

6 – Palavras-chaves relevantes e qualificadas

Para melhorar seu ranqueamento orgânico, a escolha das palavras-chaves é importante. Elas devem compor o texto de forma natural, serem relacionadas ao negócio e a busca do usuário. 

É possível fazer um bom mapeamento de palavras-chaves com algumas ferramentas de SEO, que fornecem o volume de busca, concorrência e sugestões de frases para incorporar ao texto. Com essa ação você otimiza a sua estratégia, oferecendo um conteúdo relevante para o público que está realmente interessado. 

7 – Direcionar as ações para o público correto

Qualquer que seja o ramo do seu negócio é essencial que tenha um público-alvo bem definido. Desta forma, você consegue direcionar suas ações para quem realmente está interessado em seu site. 

Por isso, para cada campanha que for elaborar faça um planejamento bem estruturado e avalie qual o público-alvo em cada canal. Assim, ele entrará em seu site sabendo que irá encontrar o que deseja, reduzindo as chances de rejeição. 

8 – Escreva textos adequados para os mecanismos de busca

O mecanismo de busca, principalmente o Google, é a principal forma do seu público encontrar e acessar o seu site, seja por tráfego orgânico ou pago. Por isso, o seu anúncio precisa estar bem apresentado e ser atrativo para o usuário. 

Assim, elabore textos sucintos, mas bem explicativos e com a presença de call to action para aumentar as chances de cliques. Além disso, vale estruturar títulos e URL's simples e de fácil leitura. 

9 – Invista na criação de Landing Pages

Quem investe na criação de Landing Pages só tem a ganhar. Elas facilitam o cálculo da taxa de conversão, melhoram a linguagem com o usuário, auxiliam na captação de leads e base de dados para envio de e-mail marketing e, claro, diminuem a taxa de rejeição. 

O ideal é ter um número alto de landing pages, uma para cada tipo de conversão, para que sua mensuração seja mais assertiva. Quanto a sua estrutura, invista em textos curtos e fáceis de ler, formulários somente com os campos essenciais para não cansar o usuário e, para finalizar, uma call to action arrebatadora. 

Dica bônus

10 - Faça um site adaptado para o Mobile

Hoje, quase ninguém acessa algum site pelo desktop, principalmente se o seu público for jovem. Estudos indicam que 95% dos usuários efetuam compras e consomem conteúdo pelo celular. Desta forma, ter um site responsivo e otimizado é essencial para reduzir seu bounce rate.  

 

Além disso, um site responsivo melhora o seu ranqueamento no Google, já que o foco principal da plataforma é maximizar a experiência do usuário. Certifique-se de que ele é mobile friendly e se seus anúncios na rede de pesquisa permitem um acesso rápido, através de botões de chamadas, localização e sitelinks. 

 

Quanto a parte interna do site, vale analisar o tempo de carregamento, navegabilidade, fonte e proporção das imagens nos dispositivos móveis. 

Em outras palavras, a melhor forma de reduzir sua taxa de rejeição é aprimorando a experiência do usuário. Avalie constantemente suas métricas e o comportamento do seu público para ter novos insights e otimizar suas campanhas. 

O que acha de colocar em prática as dicas acima? Já tentou executar alguma delas? Caso queira compartilhar ou precisar de ajuda faça um comentário. Será um prazer ajudar você!