Com o lançamento das novas metricas taxa de impressão de primeira posição e parte superior em novembro do ano passado. Neste em ano, mais precisamente em 26 de fevereiro, o Google anúncio que a posição média seria desativada dos relatórios e a partir do dia 30/09/2019 esta desativação será global chegará em poucos dias em todas as contas.

Com a disponibilidade dessas novas métricas para entender o destaque dos anúncios, desativaremos a posição média em setembro deste ano. Se atualmente você usa a posição média, recomendamos que comece a usar essas novas métricas ao avaliar e otimizar para conseguir destaque.

Pallavi Naresh, gerente de produtos do Google Ads

Agora eles recomendam o uso destas duas novas taxas, que na minha opinião são inclusive mais claras e eficientes, pois apresentam o percentual em que seus anúncios são exibidos na primeira posição ou no topo da página.

Você está preparado?

Essa provocação é justamente para você que trabalha com estratégias que utilizam regras a partir do posicionamento médio, colunas personalizadas em relatórios, relatórios salvos, até mesmo scripts que utilizam esta métrica para geração de relatórios para planilhas do Drive e relatórios extraídos através da API, pois {adposition} passará a imprimir a string vazia a partir da semana do dia 30 de setembro

Sobre métricas da parte superior e da primeira posição

Com a taxa de impressões na primeira posição da pesquisa ou "% de impr. (1ª posição)" e a taxa de impressões na parte superior da pesquisa ou "% de impr. (parte sup.)", você pode saber o local de exibição dos seus anúncios nas SERPs.

Elas indicam o percentual de exibição dos anúncios na parte superior e na primeira posição (acima dos resultados da pesquisa orgânica). Diferentemente da posição média que temos por mais alguns dias.

Você pode usar essas métricas para entender as alterações no CTR causadas por uma mudança no local de exibição dos seus anúncios na página de resultados de pesquisa. Vale ressaltar que o Google não recomenda usá-las como um objetivo para definir lances, então fique ligado!

Entendendo melhor as métricas

Taxa de impressões na parte superior da pesquisa
É a porcentagem de impressões de anúncios exibidas em qualquer lugar acima dos resultados da pesquisa orgânica.

Taxa de impressões na parte superior da pesquisa = impressões na parte superior/impressões

Taxa de impressões na primeira posição da pesquisa
É a porcentagem de impressões de anúncios exibidas como o primeiro anúncio acima dos resultados da pesquisa orgânica.

Taxa de impressões na primeira posição da pesquisa = impressões na primeira posição/impressões

Parcela de impressões na primeira posição da pesquisa
É o número de impressões recebidas na primeira posição dividido pelo número estimado de impressões que você estava qualificado para receber nessa posição.

Parcela de impressões na primeira posição = impressões na primeira posição/impressões qualificadas na primeira posição

Parcela de impressões na parte superior da pesquisa
É o número de impressões recebidas na parte superior em relação ao número estimado de impressões que você estava qualificado para receber nessa posição.

Parcela de impressões na parte superior da pesquisa = impressões na parte superior/impressões qualificadas na parte superior

Parcela de impressões perdidas na primeira posição da pesquisa (orçamento)
Estima a frequência com que o anúncio não apareceu na primeira posição acima dos resultados da pesquisa orgânica devido a um orçamento baixo.

Parcela de impressões perdidas na parte superior da pesquisa (orçamento)
Indica a frequência com que o anúncio não apareceu acima dos resultados da pesquisa orgânica devido a um orçamento baixo.

Parcela de impressões perdidas na primeira posição da pesquisa (classificação)
Estima a frequência com que o anúncio não apareceu na primeira posição acima dos resultados da pesquisa orgânica devido a uma classificação insatisfatória.

Parcela de impressões perdidas na parte superior da pesquisa (classificação)
Estima a frequência com que o anúncio não apareceu acima dos resultados da pesquisa orgânica devido a uma classificação insatisfatória.